Séries que amo e pra sempre vou amar: The Following

Não sou do tipo convencional dos aficcionados em séries. Tenho dado tão pouca importância que, acho, já posso me enquadrar em algum tipo de grupo tipo os old schools ou os vintages. Se é que isso existe. Existindo ou não, eu sou do tempo em que as melhores séries do mundo ainda estavam no ar e eu assistia tudo na tv paga com algumas muitas semanas de atraso da tv americana. Friends passava na Sony (que era Entreteinement Television) junto com Will & Grace. Buffy estava na FOX todas as quintas-feiras seguida por Angel. E, claro, Gilmore Girls, uma série nada-demais que assisti desprevenida na Warner e me pegou de jeito. Exceto pelas séries que sempre eram canceladas e eu cismava em acompanhar e amar (3rd ROCK FROM THE SUN e ROSWELL FOREVER), esse era o meu mundo de séries.

E aí, os anos 90 acabam, a primeira década dos 2000 também, os vampiros começaram a brilhar, seriados sobre bombeiros ou divisões especiais da polícia (RIP Third Watch, Without a Trace e Cold Case) eram indispensáveis em cada canal e os episódios musicais deram lugar a séries inteiras baseadas no gênero mais controverso da existência humana. E eu? Fiquei perdida no mundo das séries (exceto por Skins que sempre amei, mas tive dificuldade em acompanhar logicamente).

Até que uma série surgiu e me fez de zumbi. Não, ela não tinha zumbis, mas serial killers, trilha sonora gótica dos anos 90 e uma trama cheia de psicologia nada barata para arrebatar meu já não tão jovem coraçãozinho, agora, oficialmente apaixonado por histórias muito bem roteirizadas e literatura. bang, bang, they shot me down. Neste momento me encontro totalmente refém a ponto de nem conseguir explicar tudo que já brotou na minha cabeça a partir desses personagens loucos e intensos. Sério, se você ficava louca com as reviravoltas de Avenida Brasil (ou aquele seriado que dizem ter inspirado a novela), estarei eu agora DOIDA pra ver a sua cara de susto em cada cena chocante de The Following.

A ideia toda é do Kevin Williamson, carinha que fez todos os filmes da nossa querida adolescencia feliz: Pânico, Eu sei o que vocês fizeram no verão passado e Prova Final (e, ainda que você diga que não curtia, Dawson’s Creek). E mesmo que você não seja gay e louco por Kevin Bacon, acredite, ele está incrível no papel do agente alcoólatra do FBI Ryan Hardy (ou seria Ryan Durão?).

Hoje sai o 8º episódio da série e te aconselho a assisti-la sem saber muita coisa. Vai de mente vazia e vai com fé! Mas, caso você esteja loki para descobrir mais pode ver o trailer abaixo:
UI! E eu fico tensa até vendo o trailer!
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s